4268
Páginas Visualizadas Hoje

Autor: Carlos Alberto - Data: 31/08/2020 10:02

Guaxupeanos entram para a história do xadrez estadual após evento da FEEMG

O atleta Jhony foi o vice-campeão de sua categoria, tendo entrado para a história do xadrez local
Facebook Twitter LinkedIn Google+ Addthis Guaxupeanos entram para a história do xadrez estadual após evento da FEEMG

Enxadristas de Guaxupé conquistaram excelentes resultados no Estadual de Xadrez Online, realizado entre os últimos dias 24 e 27, com promoção da Federação de Esportes Estudantis de Minas Gerais. Membros da Liga de Xadrez - Pólo Guaxupé e do Projeto de Xadrez Guaxupé, os jogadores têm destacado-se cada vez mais no cenário mineiro da modalidade. Formadas por estudantes de escolas públicas e particulares, as equipes locais subiram de patamar com a mais recente edição do evento. Tanto, que seus desempenhos os habilitaram para alçarem voos ainda mais altos dentro do esporte ao qual dedicam-se.
A competição incluiu participantes de diferentes municípios, distribuídos em módulos (nascidos de 2006 a 08), e entre 2003 e 05, nas categorias masculino e feminino. Já mais especificamente com relação aos resultados obtidos pelos enxadristas locais no evento deste ano, Laís Aparecida Ribeiro do Nascimento foi a 8ª colocada na classificação geral pelo Módulo I Feminino, com 4,5 pontos, entre 126 concorrentes (em 2019 Guaxupé chegou ao 13º nesta categoria); Manuella Vitória Camargo de Azevedo conquistou o 16º lugar, com 4 pontos, mas ainda joga em 2021, com a possibilidade de alcançar uma classificação melhor (ambas são alunas do Colégio Objetivo).


Módulo Masculino I
Otávio Ronaldo Reis, da Escola Estadual Nossa Senhora Aparecida, foi o 6º melhor da cat. Módulo I Masculino, entre 123 enxadristas. O jogador, que treina pelo Projeto Casa da Criança, conquistou 6 pontos; Wendel Rodrigo Menezes, do Colégio PHD Makenzie, foi o 30º colocado.


Módulo II Masculino:
Alunos da Escola Estadual Dr. André Cortez Granero (Polivalente), Wesley Gonçalves da Silva e Heitor Carvalho Moreira, ambos com seis pontos ganhos, ficaram respectivamente em 7º e 6º lugares. Em 2021, eles poderão jogar novamente na mesma categoria, que os coloca com grande possibilidade de medalha.


Os professores satisfeitos!!!
Evidente satisfeitos com as performances de seus alunos, os professores Tiomara Oliveira e Alan Marks enfatizaram grandeza do evento da Federação, o qual, este ano, foi realizado a distância como protocolo anti-pandemia do Novo Coronavírus: "Nos últimos anos, o xadrez guaxupeano sempre teve alguns alunos se destacando nas categorias de base, participando e vencendo torneios regionais e, aos poucos, aparecendo no cenário estadual como, por exemplo, a 13ª posição de uma enxadrista em 2019, na última fase do JEMG", lembrou ela. "O Estadual de Xadrez FEEMG foi idealizado para suprir a ausência do JEMG, evento que movimenta milhares de atletas em todo o Estado e que, infelizmente, devido à COVID-19, não pôde ser realizado", completou ele, que tem disponibilidade para acolher novos alunos à Liga Escolar de Xadrez. Para tanto, os interessados devem entrar em contato pelo telefone (35) 9-9818-3678.


Jhony, o "cara"!
O aluno Jhony Lima dos Santos, da Escola Estadual Dr. André Corteza Granero (Polivalente), que conquistou 7,5 pontos e encerrou esta edição do evento de forma invícta, foi o vice-campeão da categoria, entre 136 enxadristas. O guaxupeano, diga-se de passagem, alcançou os mesmos pontos do campeão, mas obteve menor critério desempate. "Na penúltima partida, ele empatou com nada mais que um mestre nacional, o que faz desse jogador uma grande revelação para nossa cidade", comentou o coordenador Alan Marks, muito feliz com o desempenho de seu atleta. Veja, logo abaixo, detalhes a respeito de Jhony e sua vida no xadrez:

1) Jhony, como se sente após esse feito incrível de 2º lugar em um evento estadual?
Jhony: A sensação é incrível! Sem dúvidas, um feito notável, do qual me orgulharei pelo resto da minha vida. A "ficha" ainda não caiu! Vai demorar um pouco ainda!

2) Como descobriu o xadrez e como tem treinado para os torneios?
Jhony: Descobri o xadrez pelo tio do meu amigo, que se tornou meu treinador e também um grande amigo. Eu busco treinar mais solo para obter o máximo de concentração possível, com a ajuda de livros e exercícios. Também participo de treinos em grupo com amigos com o auxílio do treinador Alan e em outras ocasiões o treinador Vinícius.

3) O que o xadrez representa em sua vida?
Jhony: O xadrez, para minha vida, é a base do meu psicológico. Com ele, consigo evoluir mentalmente e controlar minhas emoções, trazendo benefícios notáveis, como a melhora no desempenho escolar, na concentração e no raciocínio lógico.

4) E agora, o que o futuro pode aguardar de Jhony Lima dos Santos no xadrez?
Jhony: O futuro é algo complicado (sorrisos). Ainda pretendo melhorar muito. Mas, sem dúvida, esse torneio me deu ainda mais gás para intensificar meus treinos. Me dedicarei mais para, quem sabe, conseguir me tornar um jogador titulado e aumentar meu nível enxadrístico e representar minha cidade.

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.







Quem Somos

Redação: R. Dr. Joaquim Libânio, nº 532 - Centro - Guaxupé / MG.
TELs.: (35) 3551-2904 / 8884-6778.
Email: jornaljogoserio@gmail.com / ojogoserio@yahoo.com.br.